I Simpósio Nacional de Geopolítica: abertura discute transformações na ordem mundial

Mesa de abertura teve presença do Brigadeiro Engenheiro Ronaldo Yuan, Assistente Militar da Aeronáutica na ESG; do Prof. Dr. Ricardo Silva Cardoso, vice-reitor da Unirio; do General do Exército Décio Luís Schons, Comandante da ESG; de Pedro Celestino, presidente do Clube de Engenharia; e do Prof. Alcides Guarino, Pró-reitor de Graduação da Unirio. Foto: ESG

Em um mundo multipolar, com diferentes países exercendo influência uns sobre os outros, a geopolítica passa a ser obrigatória ao se tratar de questões como economia internacional, defesa e soberania. A temática motivou a Escola Superior de Guerra (ESG) e a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio) a realizarem, no Clube de Engenharia, o I Simpósio Nacional de Geopolítica – Novos Rumos da Geopolítica Mundial, cuja abertura aconteceu no dia 29 de agosto.

Diferentes questões tangenciam o debate hoje, do fluxo de imigrantes a reservas de água, de energia nuclear a ameaças terroristas, afirmou o vice-reitor da Unirio, Prof. Dr. Ricardo Silva Cardoso. Para o Comandante da ESG, General do Exército Décio Luís Schons, é fundamental que os formuladores de políticas públicas estejam a par da discussão. “No tempo em que vivemos, a geopolítica parece bastante difusa. Mas, quando olhamos com atenção já conseguimos antever com certa clareza o advento de uma ordem multipolar. Essa ordem traz um potencial enorme. Temos de compreender como, nesse arranjo e nesses processos, se identifica o papel geopolítico do Brasil”, afirmou ele. Também participaram da mesa de abertura o presidente do Clube de Engenharia, Pedro Celestino; o Assistente Militar da Aeronáutica na ESG, Brigadeiro Engenheiro Ronaldo Yuan; e o Pró-reitor de Graduação da Unirio, Prof. Alcides Guarino.

Pesquisadores de Geopolítica e Relações Internacionais, além de estudantes, participaram de debates após as palestras. Foto: ESG

No primeiro dia do simpósio, os impactos da guerra comercial na geopolítica foram analisados pelo presidente do Clube de Engenharia, Pedro Celestino, e pelo Prof. Emérito da Universidade Federal Fluminense (UFF), Dr. Eurico de Lima Figueiredo. Já os Professores Doutores Paulo Gilberto Fagundes Visentine, Professor Titular de Relações Internacionais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), e André Roberto Martim, livre docente da Universidade de São Paulo (USP), discorreram sobre a ascensão da China na ordem mundial.

Futuro da Geopolítica
O encerramento do simpósio, no dia 30, teve como palestra principal “A geopolítica mundial e suas tendências de evolução”, com moderação do Prof. Severino Cabral.

O prof. Wanderley Messias, doutor em Geografia Humana e livre-docente da USP, apresentou uma visão histórica geral do tema e afirmou a geopolítica como a divisão geográfica do poder. Segundo ele, a crise no multilateralismo e uma consequente fragmentação nas relações entre países impõe a necessidade de se repensar a geopolítica. “Instituições muito complicadas, muito complexas, como a Organização das Nações Unidas, não têm dado conta dos problemas mundiais”, salientou. O Brasil encontra questões urgentes nesse contexto, como a proteção da Amazônia e a economia do país frente à desaceleração do BRICS enquanto grupo alternativo ao poder dos EUA-Europa.

Participaram da palestra de encerramento do simpósio os professores Wanderley Messias, da USP, Severino Cabral, como moderador, e Fernando Brancoli, da UFRJ. Foto: ESG

Já o Prof. Fernando Brancoli, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), destacou a busca por soluções de conflitos e crises como papel da geopolítica hoje. “Neste mundo que está mudando, que está tendo seus polos de poder pulverizados, que tipo de ferramentas da geopolítica vão aparecer? Ou que tipos de ressignificações de instrumentos anteriores vão aparecer?”, indagou ele. O debate sobre hegemonia e soberania nacional também se fazem essenciais.

No encerramento, o presidente do Clube de Engenharia, Pedro Celestino, destacou a participação de jovens e de mulheres no evento. Estiveram presentes na mesa também o Prof. Alcides Guarino, pró-reitor de Graduação da Unirio, e o Subcomandante da Escola Superior de Guerra, Vice Almirante Carlos Frederico Carneiro Primo.

O evento acadêmico, direcionado a pesquisadores das áreas de Geopolítica e Relações Internacionais, foi aberto ao público e contou com participação de estudantes do Curso Superior de Defesa (CSG) da ESG e de integrantes da Unirio. Além do Clube de Engenharia, apoiaram a iniciativa a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UFRJ), a Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) e o Instituto Rumo ao Mar (Rumar).

As palestras e debates do I Simpósio Nacional de Geopolítica podem ser acessados na íntegra no canal do Youtube da Escola Superior de Guerra:

– Primeiro dia:
parte I: palestra e debate
parte II: palestra e debate

– Segundo dia: palestra e debate

Receba nossos informes!

Cadastre seu e-mail para receber nossos informes eletrônicos.

O Clube de Engenharia não envia mensagens não solicitadas.
Skip to content