Saltar para o conteúdo
notícia 12/07/2012

A luta pelos royalties do Rio

Petróleo

Mais uma vez, Clube de Engenharia marcha com 150 mil pessoas na Avenida Rio Branco em defesa dos interesses do Rio

O Clube de Engenharia marcha em defesa do Petróleo, dos Royalties e do Rio". Essa era a mensagem da faixa que saiu do Edifício Edison Passos com diretores, conselheiros, sócios e funcionários que se uniram a 150 mil pessoas que tomaram a Avenida Rio Branco no ato "Contra a Injustiça – Em defesa do Rio" na tarde do dia 10 de novembro. Ainda na porta do Clube, o deputado Miro Teixeira se dirigiu aos manifestantes com um megafone: "Esse é o Clube de Engenharia. Uma entidade que sempre esteve presente nas principais lutas do povo brasileiro e que hoje caminha com ele para que sejam respeitados os contratos e as conquistas do povo fluminense".

A grande mobilização tem como objetivo barrar a proposta aprovada pelo Senado que representa um prejuízo de R$ 125,6 bilhões para os cofres do estado do Rio até 2020. Dos R$ 21 bilhões em royalties pagos hoje – referentes apenas ao pós-sal –, o Rio de Janeiro fica com 9 bilhões.

O presidente do Clube de Engenharia, Francis Bogossian, dividiu o palco na Cinelândia com o governador Sérgio Cabral, o prefeito Eduardo Paes e o presidente da Assembleia Legislativa, Paulo Mello, além de deputados, senadores, e representantes de di versos segmentos sociais. Segundo Luiz Fernando Pezão, vice-governador do Rio, a presença do Clube de Engenharia na  manifestação foi fundamental. "Nós precisamos da força das entidades na conscientização da população para a relevância do tema", afirmou.

O secretário de Habitação do município do Rio, Jorge Bittar, destacou a história do Clube de Engenharia nas lutas democráticas. "O Clube estava presente em todo o movimento pela abolição da escravatura, tomou as ruas na luta pela democratização do país e na campanha 'O Petróleo é nosso', sempre agiu ativamente pela defesa da engenharia e do desenvolvimento nacional. É óbvio que jamais estaria ausente desse momento decisivo para o estado. Mais do que nunca, o Clube de Engenharia está afinado com as legítimas reivindicações do nosso estado e do nosso país", afirmou. Luiz Edmundo Horta Barbosa, diretor do Clube e subsecretário de estado de Ciência e Tecnologia, destacou a importância dos royalties para o estado. "A ciência e a tecnologia desenvolvidas aqui, no Rio de Janeiro, já contribuíram muito para o sucesso das descobertas e extração do petróleo. Nada mais justo que os recursos do petróleo sejam revertidos para que o estado se desenvolva ainda mais", destacou.

FRENTE PRÓ-RIO NA BATALHA DO PETRÓLEO

A análise da repercussão da manifestação pelos royalties do Rio e o atual cenário no Congresso Federal mobilizaram os participantes da última reunião da Frente Pró-Rio que, na manhã do dia 21 de novembro reuniu, no Clube de Engenharia, representantes de entidades de classe, dos tribunais de conta do estado e do município e gestores públicos. De acordo com o deputado federal Otavio Leite (PSDB/RJ), se o estado do Rio, que recebe R$ 9 bilhões dos R$ 21 bilhões em royalties pagos hoje, conseguir apenas garantir o que já está assegurado do pós-sal, ainda que a divisão do pré-sal seja diferente, já será uma vitória. “Uma batalha federativa está sendo instalada”, destacou. A bancada do Rio tem 46 deputados. Espírito Santo, outro estado produtor, tem 13. São Paulo, que talvez apóie o Rio, tem 70. São 129 contra os 384 dos outros estados.

 

Jornal 513 – novembro/dezembro 2011 – página 16 – Royalties Petróleo

  • Passeata pelos royalties