Saltar para o conteúdo
notícia 31/07/2013

Clube discute obras no Campo da Fé

Conselho Diretor do Clube de Engenharia critica possível construção de bairro popular em Guaratiba

A sessão do dia 29/07 do Conselho Diretor do Clube de Engenharia foi marcada por grandes debates. Entre eles a proposta do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, de transformar em um bairro popular o Campo da Fé, localizado em Guaratiba.

Para o presidente do Clube, Francis Bogossian, as dificuldades têm início com o problema evidente de drenagem da água. O terreno ficou completamente alagado, impedindo a realização de atividades da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), transferidas para Copacabana. O que chama atenção é que a drenagem não foi suficiente, a despeito do Rio de Janeiro não estar atravessando período de chuvas fortes. Francis ressaltou a necessidade de questionar as autoridades municipais e estaduais sobre a responsabilidade da drenagem do terreno para a realização da JMJ.

Francis afirma também que o problema não é só de drenagem, mas principalmente de resistência a curto prazo e de deformação do terreno ao longo do tempo. “Não houve estudos geotécnicos prévios e nem tampouco um projeto executivo”, frisou.

“O terreno fica em manguezal, ou seja, em área bastante alagadiça e instável. É  uma proposta preocupante devido aos riscos de se construir em um solo como aquele. A grande camada de argila mole presente naquela região traria riscos e custos altos para o preparo do solo para a construção de casas populares. A manutenção do solo precisa ser feita de maneira cuidadosa e uma obra como esta custa muito caro. É preciso analisar a viabilidade disso”, afirmou o conselheiro Luiz Carneiro ao criticar a proposta da prefeitura do Rio.

Os conselheiros apontaram para a necessidade de se pensar um projeto estrutural cuidadoso, já que o alagamento do terreno, ocorrido recentemente durante a JMJ, demonstra as características locais. Eles frisaram, ainda, que sem um planejamento adequado e uma infraestrutura de engenharia capaz de suportar redes de drenagem de água, esgoto, ruas etc. a construção de casas torna-se inviável.

  • Terreno alagado em Guaratiba. Foto: Reprodução/O Globo