Saltar para o conteúdo
notícia 09/04/2013

Conselheiro do Crea estima que Engenhão fique interditado por mais de seis meses

Agência Brasil

Rio de Janeiro – Pelo menos antes de seis meses, o Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão, não deverá ser liberado para o público. A estimativa é do conselheiro para Obras de Grandes Estruturas do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea), Antonio Eulálio.

De acordo com o conselheiro do Crea, existe todo um processo a ser executado para a recuperação da estrutura. Primeiro terá de ser feita uma análise para saber quais as peças da estrutura metálica do estádio terão de ser reforçadas ou substituídas. Depois, é necessário elaborar um plano de montagem dessas peças. Além disso, é preciso quantificar as horas que serão gastas na recuperação para fazer uma estimativa de orçamento a fim de dar início à concorrência pública.

Na avaliação de Eulálio, o aço usado na estrutura da cobertura do estádio não foi o melhor. "Poderia ter sido adotado o aço de alta resistência à corrosão, com 50% a mais de resistência e custo maior de 10% a 15%. Mas o custo-benefício seria melhor para o Poder Público", disse.

Ele explicou que a estrutura metálica para recuperar é mais simples que o concreto armado, porque a peça com problema pode ser substituída totalmente ou então ser reforçada acrescentando volume à estrutura. Para o conselheiro do Crea, no entanto, o grande problema é a corrosão. Segundo ele, isso requer mais tempo de trabalho por causa da remoção da pintura e preparação da base para receber um tratamento com zinco a fim de proteger a estrutura metálica.

O prefeito Eduardo Paes interditou o estádio na noite da última terça-feira (26), após receber o laudo detectando falhas estruturais em sua cobertura. O problema está nos arcos leste e oeste, que tiveram um deslocamento 50% a mais do que o previsto no projeto e apresentam risco de desabar sob condições ventos fortes. "Nossa prioridade é a segurança dos frequentadores. O Engenhão vai ficar fechado pelo tempo necessário, só reabre quando houver uma solução definitiva", disse o prefeito.

O Estádio Olímpico João Havelange foi construído para os Jogos Pan-Americanos do Rio, em 2007, e inspirado no estádio do Benfica, em Portugal. A obra que começou em 2003 foi orçada inicialmente em R$ 60 milhões, mas o custo final ficou em R$ 376 milhões.