Saltar para o conteúdo
notícia 09/03/2015

Informe do Clube de Engenharia - 09 de março de 2015

Sexta-feira, 13, Ato Público na Cinelândia,em defesa do emprego, da democracia e da soberania

 Cerca de 70 representantes de movimentos sociais, federações,  centrais sindicais e universidades, entre outras entidades de segmentos da cultura nacional, uniram suas forças para a realização de um grande ato público na próxima sexta-feira, 13 de março. Em todos os estados os movimentos sociais se mobilizam com o mesmo objetivo.

No Rio, a concentração está marcada para as 15 horas, na Cinelândia. Às 17h, haverá caminhada até a sede da Petrobras para uma manifestação no entorno do prédio, símbolo de uma luta de décadas de resistência contra a privatização da empresa. A proposta é que, nas ruas, a população brasileira diga NÃO às demissões em massa, aos sistemáticos ataques daqueles que insistem em imobilizar e depreciar a Petrobras e, criminosamente, investem, com o apoio da imprensa, no caos político e social. A tiragem de um milhão de exemplares da edição especial do jornal Brasil de Fato será distribuída durante todo o dia pelos movimentos sociais já mobilizados.

As lideranças que se organizam para o ato definiram eixos comuns a todos os movimentos presentes na luta permanente contra o retrocesso. São eles: a defesa do emprego e dos direitos da classe trabalhadora; da Petrobras; da Democracia e da Reforma Política.

Ao lado da defesa da Petrobras, o movimento Aliança pelo Brasil, em defesa da Soberania Nacional, lançado no Clube de Engenharia dia 25 de fevereiro, aponta o imperativo de proteger nossa Engenharia, também ameaçada de fragmentação e de liquidação frente ao risco de uma desigual concorrência externa. “Repelimos com veemência eventuais atos de corrupção ocorridos na relação entre empresas de engenharia fornecedoras da Petrobras, e seremos os primeiros a apoiar punições para os culpados, mas somos contra a imputação de culpa sem provas, e a extensão de culpa pessoal a pessoas jurídicas que constituem, também elas, centro de geração de centenas de milhares de empregos, de criação de tecnologia nacional e de amplas cadeias produtivas, e de exportação de serviços com reflexos positivos na balança comercial”, defende o manifesto divulgado na ocasião.