Saltar para o conteúdo
artigo 30/01/2014

Manifesto do Fórum de Mobilidade Urbana do Rio de Janeiro

     O Fórum Permanente da Mobilidade Urbana na Região Metropolitana do Rio de Janeiro se propõe a acompanhar a  locomoção da população em toda a região e em todas as suas variantes, traçar diagnósticos, repercutir discussões, apontar soluções, acompanhar as providências dos gestores públicos responsáveis de cada setor e fundamentalmente divulgar todas as informações para a sociedade.

       Neste Fórum, pretende-se avaliar dentre os conhecimentos técnicos e a prática, o desempenho dos principais meios de transporte, como ônibus, trem, metrô, vans, barcas, bondes, ciclovias, além das suas implicações no cotidiano das pessoas e na economia da região.

       São Fundadores deste Fórum, todos os presentes neste momento, representantes de Associações de Moradores e Federações, Conselhos Profissionais e Clubes de Serviço, Sindicatos, instituições diversas, ONGs e cidadãos, em caráter pessoal, que democraticamente optaram em participar destas discussões.

       O Fórum Permanente da Mobilidade Urbana na Região Metropolitana do Rio de Janeiro se cercará de princípios revisionais, por entender que a Mobilidade Urbana é  um assunto dinâmico , mutante, e que durante o embate de ideias,  estará sempre sujeito à novas concepções e conclusões.

        O Fórum Permanente da Mobilidade Urbana na Região Metropolitana do Rio de Janeiro nasce neste momento em que a Região Metropolitana vive uma grande crise, em todos os dezenove municípios que compõem a região, quando os principais modais são responsáveis pelo aumento gradativo no tempo de viagem dos usuários através dos anos, dando a escalada vertiginosa no custo das tarifas em relação à inflação, as grandes dificuldades do transporte pela madrugada, as barreiras da falta de acessibilidade,  as vergonhosas dificuldades interpostas pelos operadores na concessão das gratuidades previstas em lei e até  o despreparo na administração do Vale Transporte e do Bilhete Único.

       Nos últimos tempos, observamos as falhas grotescas na manutenção dos veículos dos  modais, responsáveis por graves acidentes, como nas barcas, bonde,  trem, metrô e diariamente com ônibus nas ruas das nossas cidades.

       As cidades e seus bairros, não podem ser divididos em duas categorias, uma com  transporte regular, e outra com transporte precário, pois todos os meios de transporte se originam em concessões públicas.

       A ideia que os operadores de transporte público de passageiros irão decidir sobre o horário, frequência, tipo de equipamento, administração de cartões e tickets, e até sobre o direito às gratuidades previstas em lei, é um esbulho contra a população, até aqui, com a conivência das Agências Reguladoras e Secretarias de Transporte e Trânsito.

         O Fórum Permanente da Mobilidade Urbana na Região Metropolitana do Rio de Janeiro assume o compromisso perante a sociedade, de lutar pela garantia do Art° 5, XV da Constituição Federal “é livre a locomoção no território nacional em tempo de paz, podendo qualquer pessoa, nos termos da lei, nele entrar, permanecer ou dele sair com seus bens”.                                                                         

 

         Rio de Janeiro, 10 de dezembro de 2011.