Em memória do único presidente engenheiro do país

A reunião do Conselho Diretor do dia 28 de novembro foi marcada pela emoção e pela sincera homenagem ao ex-presidente Itamar Franco, o único engenheiro a ocupar o cargo máximo do país. Homem de firme postura ética, Itamar foi lembrado por Francis Bogossian, presidente do Clube de Engenharia e Marcello Siqueira, representando o presidente da Cemig, Djalma Moraes. Dividiram a mesa, ainda, Douglas Fazolatto, representando o prefeito de Juiz de Fora, Custódio Mattos, o deputado estadual Bruno Siqueira e o irmão do ex-presidente, Augusto Franco, que recebeu das mãos de Francis uma placa em homenagem ao trabalho realizado por Itamar em prol do país
Francis falou da parceria do ex-presidente com o Clube na luta contra a privatização de Furnas e do contato com o então presidente Itamar quando combinavam uma palestra sua no Clube. "Era período eleitoral e ele preferiu não vir. Um candidato a qualquer cargo público não perderia a oportunidade, mas ele preferiu focar na homenagem do Clube, e não permitiu que isso fosse usado na campanha eleitoral. Esse tipo de atitude mostra bem quem era Itamar".

Francis também falou sobre o empenho de Itamar na valorização da engenharia e da cultura nacional. "Ele proporcionou a retomada e o impulso ao cinema nacional, depois de seu antecessor ter extinguido a Embrafilme. Foi em seu governo que se criou a lei 8.685, em 1993, conhecida como a Lei do Audiovisual. Também foi em seu governo que se instituiu a lei 8.666, que permitiu a engenheiros com bom currículo o acesso às licitações públicas", destacou.

Marcello Siqueira, que trabalhou com Itamar desde 1950, quando foi seu estagiário, falou emocionado da competência do ex-presidente: "Difícil saber se algum presidente da República que veio depois dele teria tido êxito no governo do país se tivessem que lidar com uma inflação de mais de 60% ao mês. Itamar pegou o país em um momento difícil, após um impeachment, acalmou a arena política nacional e ajudou a gerar o plano Real, ditando normas políticas que geralmente protegiam aposentados e os mais pobres".

A implantação do plano Real, a criação dos genéricos, a primeira parceria público-privada do país, o resgate do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), a liberação dos recursos para a implantação da usina nuclear de Angra II, e outras das muitas conquistas de Itamar Franco na presidência, no Senado e no Governo de Minas Gerais foram lembradas na cerimônia que contou com a presença do engenheiro Celso Franco e das jornalistas Hildegard Angel, Leda Nagle, entre outras autoridades, amigos e profissionais da mídia. Os que queriam levar essa história para casa podiam comprar o livro "O real Itamar – uma biografia", de Ivanir Yazbeck, disponível na saída do evento.

Ao final da solenidade Augusto Franco recebeu das mãos de Francis uma placa (foto) em homenagem aos serviços prestados à nação brasileira por seu irmão. O texto gravado na placa era destinado a "um grande exemplo de dignidade e honradez no exercício de suas múltiplas funções públicas", um resumo digno de quem foi o presidente engenheiro Itamar Franco, símbolo do cuidado e do respeito no trato com a coisa pública.

Receba nossos informes!

Cadastre seu e-mail para receber nossos informes eletrônicos.

O Clube de Engenharia não envia mensagens não solicitadas.
Skip to content