Jornal O Globo | 29/01/2014

Para engenheiro, seria como projetar prédio para resistir a choque com avião

RIO - A passarela que desabou nesta terça-feira na Linha Amarela, após ser atingida por um caminhão cuja caçamba estava levantada, não tinha necessariamente que ser construída prevendo um impacto daquela natureza. Segundo o presidente do Clube de Engenharia, Francis Bogossian, não há estruturas semelhantes construídas no Rio considerando a possibilidade de um acidente desse tipo, até porque, numa via expressa como aquela, é proibido o tráfego de veículos de altura superior à da que ruiu, que tinha 4,5 metros e 42 de extensão.

 

Receba nossos informes!

Cadastre seu e-mail para receber nossos informes eletrônicos.

O Clube de Engenharia não envia mensagens não solicitadas.
Skip to content