Na última terça-feira, dia 9 de setembro, aconteceu no Sindicato dos Engenheiros de São Paulo, o primeiro encontro dos Diálogos Conectados promovidos pela campanha “Banda Larga é um direito seu!” com a presidenta Dilma Rousseff, candidata à reeleição. Dilma respondeu perguntas das entidades que compõem a campanha pela universalização da banda larga e assumiu compromissos para o segundo mandato. Com o auditório lotado, as partes tiveram oportunidade de opinar sobre o assunto.

Dentre os vários temas citados pela candidata, se destacam:
- A banda larga como infraestrutura estratégica e essencial para o desenvolvimento do país;
- O encaminhamento ao Congresso Nacional da Lei de Universalização da banda larga, que incluirá parâmetros de velocidade, capacidades, margens de atendimento e metas; 
- Trabalhar com velocidade por acesso de 25 Mbps para 90% de atendimento feito basicamente através de fibras ópticas com parceria com as atuais empresas operadoras em um prazo de 4 anos;
- Investimento para essa realização deverá ser tanto público como privado por meio de parcerias público privadas – PPP; 
- Apoio à Telebrás para ser o braço do governo nas implantações, principalmente para os pequenos provedores e com intuito de regular a competição;
- O esforço despendido para a aprovação da Lei do Marco Civil da Internet não deve ser quebrado no enquadramento das exceções à neutralidade de rede que ainda faltam ser regulamentadas;
- Eventuais quebras do acordado no Marco Civil da Internet devem ser adequadamente punidas;
- Atenção aos anseios da comunidade de desenvolvedores de software, com o oferecimento de incentivos e financiamentos que deve ser formulada em conjunto com os desenvolvedores.

A principal reivindicação das entidades da sociedade civil, a instituição da banda larga como serviço público por decreto presidencial, não foi cogitada pela presidenta. Dilma considera mais viável e com maior apelo popular e de congressistas, fazer a universalização através de uma lei a ser votada no Congresso. 

O Clube de Engenharia que participou como entrevistador da candidata na mesa de debates, posicionou-se sobre essa possibilidade, ressaltando a necessidade de maior cuidado, com estabelecimento de regras, na parcela de investimentos públicos, que não caracterizem enriquecimento indevido das operadoras de telecomunicações, que serão as beneficiárias finais através das tarifas recebidas dos usuários.

A mesa foi composta pelo engenheiro Márcio Patusco, diretor do Clube de Engenharia; Flavia Lefevre, do Proteste; Renata Mielli, do Centro de Estudos de Mídias Alternativas Barão de Itararé; a presidenta Dilma Rousseff; Pedro Ekman, do Coletivo Intervozes; Sergio Amadeu, da Universidade Federal do ABC (UFABC), e Beatriz Tibiriçá, do Coletivo Digital. Durante a abertura do encontro, falaram ainda o professor Marcos Dantas, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e Veridiana Alimonti, do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor.

Os demais candidatos à presidência também receberam convite semelhante, para encontros subsequentes. Aguardamos a confirmação de participação aos Diálogos Conectados.

Receba nossos informes!

Cadastre seu e-mail para receber nossos informes eletrônicos.

O Clube de Engenharia não envia mensagens não solicitadas.
Skip to content