ABEA e Duaia Vargas comemoram 80 anos no Clube de Engenharia


Há 80 anos, com o voto feminino recém-conquistado, um grupo de 11 corajosas engenheiras e arquitetas fundou a Associação Brasileira de Engenheiras e Arquitetas (ABEA). Para celebrar a data, comemorada oficialmente em 19 de julho, a atual presidente da instituição, Duaia Vargas da Silveira, também completando 80 anos, promoveu em 17 de agosto uma solenidade no Clube de Engenharia.

O evento contou com mesa de autoridades composta, além da arquiteta e urbanista Duaia Vargas, pelo ex-presidente do Clube Francis Bogossian, representando o presidente Pedro Celestino; Edemar de Souza Amorim, presidente da Federação Brasileira de Associações de Engenheiros (Febrae); José Chacon de Assis, presidente desincompatibilizado da Associação Fluminense de Engenheiros e Arquitetos (Afea); e Fatima Muniz, Agente Consular da República de Angola, representando o Exmo. Senhor Rosário Gustavo Ferreira de Ceita, Cônsul Geral.


História na Engenharia e na Arquitetura
Respeitada por sua história profissional e liderança feminina, Duaia Vargas enfatizou a comemoração de uma data que marca a luta de onze mulheres dos anos 30 para enfrentar uma sociedade preconceituosa e superar barreiras do mercado de trabalho. "O papel da mulher passou e está passando ainda por uma redefinição, seja para engenheiras, arquitetas, agrônomas, advogadas, médicas, economistas e demais profissionais, integradas na mesma luta de valorização", afirmou, sem deixar de falar do apoio masculino no processo histórico.

Entrando em detalhes sobre o pioneirismo feminino na engenharia e na arquitetura, lembrou nomes como Edwiges Maria Becker Hom'meil, primeira engenheira civil formada no Brasil, em 1917, e Carmen Portinho, graduada engenheira civil em 1926 e doutora em urbanismo em 1939, uma das fundadoras da Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos do Estado do Rio de Janeiro (Seaerj) e da ABEA. "O objetivo da ABEA foi e continua sendo congregar engenheiras e arquitetas, incluindo estudantes, estimulando-as a participar do desenvolvimento nacional, promovendo e visando o intercâmbio de ideias, de informações técnicas e contatos profissionais", celebrou Duaia.

Por tantas lutas à causa pública e ao pleno exercício da cidadania, Duaia recebeu, em 9 de março de 2015, indicada pelo Clube de Engenharia, o diploma de Mulher Cidadã Leolinda de Figueiredo Daltro, da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ), concedido pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher.

Homenagem a Angola
Homenageada por todos, também homenageou, entregando diplomas a cerca de 30 profissionais, entre membros do Conselho Diretor do Clube, profissionais da engenharia, da arquitetura, do direito e, entre outros, a militares. Homenageou ainda o grupo de angolanos presentes. Além de Fatima Muniz, foram contemplados, entre outros, Caetano Francisco Domingos, responsável pelos estudantes bolsistas do Instituto Nacional de Gestão de Bolsas de Estudo (INAGBE) de Angola e Hugo Gonzaga, Relações Públicas e Institucionais do Sector de Apoio aos Estudantes no Brasil, do Consulado Geral no Rio de Janeiro.

Emocionada, a presidente da ABEA falou da importância da influência angolana no Brasil, na agronomia, na linguagem e na cultura e expressou a sua honra em receber uma mulher representando o Cônsul Geral. Em resposta, Fatima Muniz demonstrando grande alegria em participar da celebração afirmou: "Isso nos honra, nos dignifica e nos aproxima, até porque Brasil e Angola têm ótimas relações diplomáticas".

Receba nossos informes!

Cadastre seu e-mail para receber nossos informes eletrônicos.

O Clube de Engenharia não envia mensagens não solicitadas.
Skip to content