Saltar para o conteúdo
artigo 26/02/2016

Interlocução com estudantes é projeto em prol da Engenharia e do país

A existência de uma Secretaria de apoio ao Estudante de Engenharia (SAE) no âmbito da estrutura organizacional do Clube de Engenharia implementa a ideia de construir uma Engenharia cada vez mais identificada com jovens engenheiros e engenheiras. Para que isso aconteça é fundamental a efetiva participação de estudantes e profissionais recém-formados, para que a discussão da Engenharia no País tenha um toque inovador, criativo e arrojado.

Os estudantes de Engenharia têm se mobilizado, cada vez mais, em busca de formas de luta por seus direitos, dentro ou fora de suas universidades. Porém, quando buscam apoio para avançar se deparam com inúmeros obstáculos e, por muitas vezes, acabam desistindo. A SAE promoverá a aproximação, estabelecerá o diálogo, com a realização de debates e agendas conjuntas, e contribuirá para a formação do futuro engenheiro.

O Clube de Engenharia tem todas as condições de auxiliar na formação de profissionais com capacidade para acompanhar e entender os rumos da qualidade de vida da população em que estão inseridos e, ainda, utilizar a bagagem e o conhecimento acumulados para ajudar no seu desenvolvimento.

Os sentimentos e desejos acima foram expressos pelos próprios estudantes em encontros que o presidente Pedro Celestino realizou com grupos de diferentes escolas de Engenharia. A gestão anterior presidida pelo presidente Francis Bogossian promoveu os primeiros contatos através do programa Café com o Presidente. Hoje avançamos ao propor uma segunda etapa que implica interação, com a perspectiva de continuidade e crescente presença no Clube, comprometidos inclusive como novas lideranças na renovação de seu quadro social.

No final de 2015, através de seus diretórios, informamos da possibilidade de organizarmos visita técnica às obras de duplicação da via entre São Conrado e Barra, com no máximo 40 pessoas. Para nossa surpresa, 230 estudantes se inscreveram. Como era fim de ano foi possível a realização de apenas duas visitas, ficando as demais para este ano. O fato evidencia o potencial para estreitar o relacionamento do Clube com estudantes e jovens profissionais.

É uma via de mão dupla. Na interlocução que se estabelece, abrir caminho para a presença nos debates e espaços políticos em suas entidades de representação são propostas expressas com convicção pelos alunos das engenharias. Poucas são as informações que recebem sobre o funcionamento dessas entidades para além das conhecidas questões trabalhistas. Têm a consciência de que só o ensino acadêmico não é capaz de acordar a visão crítica da realidade que os cerca, expor a importância da engenharia para o desenvolvimento ou o papel que têm na construção de um Brasil cidadão.

Querem a experiência e a história. Valorizam as informações dos que trazem em suas trajetórias a visão de quem contribuiu para a formulação de políticas públicas ou comemorou a execução de um projeto que transformou a cidade e a vida de seus habitantes. Acreditam que a troca de ideias abre caminhos para uma visão mais realista e prática do mercado que os espera. Dizem isso apostando na parceria que se inicia.

A SAE terá a missão de abrir espaços, técnicos e políticos, pelos quais esses jovens lutam e aproximá-los das discussões sobre a Engenharia nacional, integrando-os neste universo. É o reconhecimento de que eles têm muito a acrescentar ao Clube de Engenharia e ao país. O Clube e o Brasil precisam da efetiva participação dos jovens engenheiros e engenheiras na construção do que ainda está por vir.

A Diretoria