ABMS condena pré-julgamento de engenheiros geotécnicos

Barragem da mineradora Vale rompeu no dia 25 de janeiro em Brumadinho (MG), despejando quase 12 milhões de litros de rejeitos de minério na região. Além do dano ambiental, até o momento o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil contabilizam 121 pessoas mortas e 226 desaparecidas. Foto: Ricardo Stuckert/Fotos Públicas

A ABMS (Associação Brasileira de Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica), entidade técnica que congrega profissionais e empresas ligadas à engenharia geotécnica, diante da “Nota de Esclarecimento do CREA-SP” publicada em 29 de fevereiro passado, referente ao acidente em Brumadinho, esclarece:

1) Os Engenheiros André Jum Yassuda e Makoto Namba são associados à ABMS há mais de 30 anos e desfrutam de elevada reputação no meio técnico e científico.

2) O CREA-SP tem, sem dúvida, o dever de zelar pela boa Engenharia. Mas o apoio à detenção dos engenheiros, por meio de nota com tom acusatório e de presunção de culpa, configura um inaceitável pré-julgamento que traz irreparáveis danos aos profissionais. Espera-se do CREA-SP investigações cuidadosas para elucidação das causas do acidente e responsabilização dos culpados.

3) A Declaração Universal dos Direitos Humanos assegura no seu Artigo 11º: “Toda a pessoa acusada de um ato delituoso presume-se inocente até que a sua culpabilidade fique legalmente provada no decurso de um processo público em que todas as garantias necessárias de defesa lhe sejam asseguradas”.

4) A ABMS reitera a sua confiança na Justiça brasileira no sentido de garantir que o processo de investigação cumpra os requisitos legais e seja transparente, respeitando os direitos individuais dos envolvidos.

São Paulo, 1 de fevereiro de 2019
Associação Brasileira de Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica (ABMS)

Receba nossos informes!

Cadastre seu e-mail para receber nossos informes eletrônicos.

O Clube de Engenharia não envia mensagens não solicitadas.
Skip to content