Consultoria: oportunidade de trabalho para engenheiros

Com mais de 40 anos de experiência, Affonso Romano indicou caminhos para os que desejam atuar na área. Foto: Fernando Alvim

O mundo do trabalho mudou. Os jovens entram no mercado de trabalho mais tarde e mais qualificados, muda-se de emprego mais rapidamente, horários e locais de trabalho estão diversificados. As pessoas precisam estar preparadas para as mudanças constantes – de empresa, de atividade, de cidade – e um caminho possível é o da consultoria. Para apresentar esse campo de trabalho, seja para engenheiros ou outros profissionais, o presidente da Associação Brasileira de Consultores (ABCO) e CEO do Laboratório da Consultoria, Luiz Affonso Romano, realizou no Clube de Engenharia, em 22 de novembro, a palestra “Consultoria: oportunidade de trabalho para engenheiros”. O evento foi promovido pela Diretoria de Atividades Técnicas (DAT) e Divisões Técnicas de Exercício Profissional (DEP), Formação do Engenheiro (DFE) e Manutenção (DMA).

Resolução de problemas

A consultoria, segundo Romano, consiste em um serviço temporário prestado por um consultor profissional independente e, geralmente, externo à organização que contrata o serviço. O objetivo é amparar o responsável pela empresa na gestão da mesma, identificando, analisando e interpretando os possíveis problemas que atrapalham o sucesso da instituição. Ele enfatizou que nesse processo, que consiste basicamente no diálogo, o diagnóstico da organização deve ser feito em conjunto: consultor com cliente. Além do diagnóstico, o serviço de consultoria pode ser contratado para a realização de estudos e análises exclusivos, pesquisas, soluções para problemas específicos, aconselhamentos e, também, elaboração de códigos de ética.

Embora o ideal seja contratar uma consultoria para prevenção, muitas vezes o objetivo é a correção de um problema. Mas não existe “receita de bolo” para o exercício da atividade: cada organização terá seu espaço, seu tempo e circunstâncias. Cada serviço prestado é único. O fundamental é cumprir a missão de identificar o real problema do cliente.  Existem virtudes que aprimoram o profissional da consultoria: boa gestão do tempo; saber ouvir e perguntar; ter boa expressão verbal, escrita ou oral; manter sigilo sobre seus trabalhos; cumprir prazos; e ter comportamento ético.

Migrando para a consultoria

Com mais de 40 anos de experiência, Affonso Romano apresentou uma série de questões que devem ser respondidas pelo profissional, tais como: O que sei fazer? Quais são a atual e a futura demanda de serviços? Quem será meu cliente? Como devo me comunicar com os clientes? Além de outras mais pragmáticas como se trabalhará de casa ou escritório; quanto e como cobrar pelo serviço e como atrair parceiros e clientes. Neste último ponto, destaca que o importante é fazer networking. Segundo a pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil, edição 2014-2017, 88% das pessoas conhecem empresas de consultoria ou consultores por indicação de outro cliente. Outra forma predominante é por indicação de outro consultor. Para uma pessoa recém-formada, por exemplo, o caminho para entrar na área de consultoria é o investimento em cursos; trabalhar numa empresa de consultoria; e focar no particular, ou seja, no que somente a pessoa sabe fazer ou é sua especialidade. Tornar-se “visível”, publicando artigos e notas também é uma estratégia importante.

Vantagens da atividade

Para os clientes, seja qual for a empresa interessada, a contratação de um consultor autônomo apresenta algumas vantagens, principalmente o olhar crítico e imparcial sobre a organização, essencial para a identificação de problemas até então ocultos. Além disso, auxiliam na solução de problemas organizacionais e pessoais não somente no presente, mas também no futuro. Por outro lado, o consultor tem as vantagens de ser independente e prestar serviços temporários sem vínculo empregatício. Mas, além do consultor independente, seja ele autônomo ou membro de uma empresa de consultoria, existem também o consultor associado e o consultor interno de determinada organização.

Disciplina: fator importante

Em debate, os participantes da palestra comentaram sobre situações difíceis da consultoria: quando os consultores são requisitados para dar “sugestões” sem remuneração. Como fazer a cobrança do serviço? Como ajudar o contratante a perceber os problemas com humildade? Como se promover? Romano exemplificou com seus procedimentos: cobrança por hora ou por projeto; não estar disponível o tempo todo e somente nos horários combinados; receber adiantado; e “saber dizer não”.

O diretor de atividades técnicas do Clube Fernando Tourinho também compartilhou sua experiência na área, reforçando o profissionalismo. Segundo ele, o mercado de consultoria é crescente em especial para orientar empresas especializadas que terão seus serviços gradativamente deteriorados com o advento de novas tecnologias, como aconteceu com a câmera fotográfica analógica. O jovem engenheiro, por exemplo, precisa frequentar workshops e outros eventos para fazer contatos e mostrar sua capacidade.

A palestra repercutiu no jornal Monitor Mercantil, com a seguinte nota: “Luiz Affonso Romano, CEO do Laboratório da Consultoria e presidente da Associação Brasileira de Consultores (ABCO), realizou palestra no Clube de Engenharia sobre ‘Consultoria: oportunidade de trabalho para engenheiros’, frisando que nos dias de hoje a preparação para o empreendedorismo e para a segunda carreira é de inteira responsabilidade de cada um, indelegável, e o autodesenvolvimento é contínuo em um mundo de trabalho automatizado, robotizado e sem empregos, tanto para os jovens como para os adultos com múltiplas competências e experiências”.

 

Receba nossos informes!

Cadastre seu e-mail para receber nossos informes eletrônicos.

O Clube de Engenharia não envia mensagens não solicitadas.
Skip to content